Category Archives: Biodiversidade

Comentários sobre a biodiversidade e suas implicações na nossa vida!

Callisia3

Parece bromélia, mas não é!

A calísia-de-cheiro (Callisia fragrans) é uma planta excelente para jardins de baixa manutenção. Além de demandar pouca água, cresce de forma tão densa que compete até com as piores pragas. E ainda tem esse aspecto de bromélia, só que com o crescimento muito mais rápido. Gostou? Essa é uma das estrelas dos jardins contemporâneos e também dos jardins
tropicais que desenhamos, principalmente quando se quer baixa manutenção e economia de água.

Callisia3

Bambu-barriga-de-buda: Escultural é pouco!

Uma planta que só agora está se tornando mais disponível é o bambu-barriga-de-buda (Bambusa ventricosa)… O próprio nome já adianta a característica mais legal desse bambu: cada um dos entrenós (ou seja, aqueles gominhos) têm a forma de uma barriguinha! Isso faz desta planta uma bela escultura, sem contar o aspecto de “curiosidade botânica” que a planta possui.

Nativo da China, comecei a usar nos jardins em 2009, ainda como paisagista do Inhotim. Naquela época, quis testa-lo colocando em uma área de bastante circulação, em frente ao tamboril. E foi lá que percebi como as pessoas se admiravam com aquela arquitetura peculiar.

E mesmo que o caule desse bambu não fosse um show, suas folhas longas produzem uma densa folhagem, que já dão seu espetáculo. É um bambu entouceirante, mas existe a possibilidade (pouco explorada por aqui) de cultivar um colmo isolado (ou seja, cada uma das varas), conduzido como se fosse uma arboreta. O resultado é estonteante, mas falamos sobre isso depois. Por agora, considere ter uma escultura desta crescendo no seu jardim!!

Essa é uma planta que coloquei em um jardim do Inhotim em 2009, e um detalhe do seu curioso caule.

Essa é uma planta que coloquei em um jardim do Inhotim em 2009, e um detalhe do seu curioso caule.

 

A delicadeza que engana…

O aspecto inocente da rosinha-de-pedra (Aptenia cordifolia) esconde uma campeã de sobrevivência!

O aspecto inocente da rosinha-de-pedra (Aptenia cordifolia) esconde uma campeã de sobrevivência!

 

Quem observa distraído as mimosas flores da rosinha-de-pedra (Aptenia cordifolia) talvez não consiga compreender a força dessas plantinhas! Não se engane: trata-se de umas das plantas mais resistentes ao calor e à desidratação. Esta suculenta vem as áreas litorâneas junto ao Cabo da Boa Esperança, na África do Sul. Como muitas plantas daquela região, suporta pouca chuva ao longo do ano (quase nenhuma no verão), além do terrível efeito da maresia.

Gosto de usa-la, especialmente em coberturas ou áreas muito ensolaradas e com muito vento. Uma dia desses viajei por dois dias e esqueci uma caixa não utilizada dessas plantas no porta-malas do carro, estacionado em uma área sem sombra. Quando voltei (já esperando o pior), deparei-me com uma cena surpreendente… As plantas estavam lindas e com mais flores abertas que quando eu as deixei lá!!! Talvez sirvam para a decoração de veículos!!!!!!!

Em condições um pouco menos extremas, consegue um crescimento relativamente rápido, cobrindo boas áreas com suas folhas suculentas de um alegre verde-claro! Onde usar? Em um local de sol pleno onde seja preciso uma planta bonita, delicada e que não morra por falta d’água! Seus ramos pendentes as tornam perfeitas para forrar vasos com outras plantas de climas secos, como fizemos em um projeto já mostrado (clique aqui para lembrar).